Feito no Rio de Janeiro, Amázzoni foi eleito o melhor gin artesanal do mundo

Em 2016, 0 artista plástico Alexandre Mazza e o arquiteto italiano Arturo Isola se juntaram ao respeitado mixologista argentino Tato Giovannoni (criador do gin Príncipe de los Apóstoles) para criarem um gin artesanal que tivesse a cara do Brasil e a qualidade dos melhores exemplares do mundo. Não deu outra. Menos de dois anos depois de seu lançamento, o gin Amázzoni é presença garantida nas cartas dos melhores bares e em festas e eventos descolados. E mais: levou no ano passado o prêmio de melhor produtor artesanal no World Gin Awards 2018, uma das mais prestigiadas competições do gênero, organizada pelo site The Drinks Report, em Londres.

O prêmio ajudou a projetar o destilado para o mercado internacional, colocando o Brasil no mapa dos bons gins artesanais – já é exportado para países como Portugal e Itália e está prestes a entrar nos Estados Unidos. “Virou uma febre na Itália. Estamos nos principais bares de Milão, Roma, Florença, Nápoles, Bolonha, Gênova, Turim… Em menos de um ano vendemos 8 mil garrafas lá”, empolga-se Isola. E tudo indica que isso é só o começo. Ano passado a marca passou ao portfólio do poderoso conglomerado de bebidas francês Pernod Ricard, dono de marcas como Absolut, Chivas Regal e Ballantine’s.

Para brindar o gin fluminense que está ganhando o mundo, convidamos três prestigiados mixologistas do Rio para nos contar o que é que o Amázzoni tem. E, de quebra, nos indicar bons drinques feitos com o gin “made in Brazil” em cartaz nas suas cartas. Leve, feito com onze elementos botânicos, como cacau, coentro, castanha-do-pará, copó-cravo e maxixe, é perfeito para o preparo do popular gin tônica. Confira:

Igor Renovato, do Garoa Bar Lounge.

“Não é a toa que ganharam o prêmio de melhor destilaria de gin artesanal do mundo. A aceitação do público foi sempre positiva, desde o início. É um pouco mais leve (42 graus de teor alcoólico) se comparado aos outros mais comuns que tínhamos acesso, em geral, com 47 graus de álcool. Ele é bem versátil, adere bem os sabores… Um exemplo é nosso gin cumple, que leva frutas vermelhas e casca de limão-siciliano infusionadas no próprio Amázzoni. O resultado é um drinque refrescante, frutado, levemente doce e cítrico.” R$ 32,00.

Rua Dias Ferreira, 50, Leblon, tel: 21 3591-7617.

Jessica Sanchez, do Vizinho Gastrobar e Bar & Co.

Roberto Torres, do Stuzzi Gastrobar

“É um produto muito interessante, por conta do frescor e da mistura complexa de especiarias, a maior parte do Brasil. Uso muito nas seções da famosa dobradinha de gin e tônica. O campeão de vendas na carta do Stuzzi é justamente um G&T feito com Amázzoni, o caju tônica (foto). Faço um concentrado da fruta com baunilha e acrescento a bebida, mais limão-siciliano, água tônica e pimenta-rosa”. R$ 32,00.

Rua Aires de Saldanha, 13, Copacabana, tel: 21 3796-9113.

Rua Dias Ferreira, 48, Leblon, tel: 21 2274-4017.

Lelo Forti, do Mixxing

“O Amázzoni é um gin de muito bom gosto, feito com todo cuidado, da garrafa ao método de destilação. Foram felizes em  chamar um mixologista respeitado (o argentino Tato Giovanoni) para participar do processo junto ao master destiller. Foram arrojados nas escolhas e conseguiram equilibrar muito bem as notas dos cítricos com ou os outros ingredientes típicos da Amazônia. Acertaram em cheio. Nosso atual campeão de vendas, o di angelo (foto), é um long drink feito com Amázzoni, xarope de gengibre, suco de limão e soda artesanal de capim santo que a gente faz na casa. É um sucesso estrondoso!”. R$ 32,00.

Rua Dias Ferreira, 78, Leblon, tel: 21 97929-9990.

Este conteúdo é um oferecimento do Weseek Food, a maior rede social para os amantes da gastronomia.

Acesse as melhores dicas de restaurantes, bares e comidinhas através do site do Weseek Food

Para fazer suas avaliações, baixe o aplicativo na App Store ou no Google Play.